Reviravolta na Davis

Início    /    Tênis    /    Reviravolta na Davis
Por Raphael Favilla  •  01 de Setembro de 2017

Após sua partida no US Open, o brasileiro Thomaz Bellucci sentiu o pé e passou por uma série de exames nos Estados Unidos, que identificaram uma ruptura parcial no tendão de aquiles. A projeção dos médicos é a de que o tenista tenha que permanecer ao menos três semanas sem jogar.

"Estou muito chateado em não poder estar com a equipe no Japão. Para mim é difícil estar fora, pois a Copa Davis sempre foi uma prioridade para mim. Mas nesse momento preciso me recuperar para voltar ao circuito. Desejo sorte aos meninos e estarei na torcida aqui", destacou Thomaz.

Por conta do ocorrido e, em virtude da proximidade com o confronto entre Brasil e Japão pela Copa Davis, o capitão João Zwetsch foi consultar Rogério Dutra Silva.

Rogerinho não havia sido convocado apesar de ser o tenista mais bem ranqueado do país, 68º da ATP e, por isso, especula-se, não aceitou o convite para ficar no lugar de Bellucci. O substituto será o gaúcho Guilherme Clezar, número 5 do país e 236º da ATP. As informações foram anunciadas pelo jornalista Fernando Nardini, da ESPN.

"Em virtude dos bons resultados que ele [Clezar] vem conquistando nas últimas semanas e da boa relação que possui com quadra dura rápida, ele foi convocado para integrar a equipe", disse Zwetsch.

O número um do Brasil alega outros motivos. Ele contou através de sua equipe de comunicação os detalhes que o levaram a rejeitar o convite de Zwetsch.

"A Copa Davis é muito importante pra mim, já servi e ajudei bastante o time brasileiro em momentos delicados. Por ser o número 1 do país e viver um de meus melhores momentos acreditava que seria consultado para ir ao confronto, mas eu tive que ir atrás do capitão para saber e recebi a negativa por conta da questão do piso rápido. Depois dessa negativa preparei todo o meu calendário até o fim da temporada com altos custos tanto na parte financeira - não tenho um patrocinador Master - e também na parte física pois jogar uma Copa Davis exige muito do corpo e infelizmente atender esse pedido de última hora comprometeria todo o meu calendário do restante do ano e meu desempenho", explicou Rogerinho.

"Infelizmente não poderei ser o reserva desta vez, mas vou torcer pelos meninos para buscar essa vaga", finalizou o paulista.

O capitão brasileiro colocou panos quentes na situação.

"É plenamente compreensível, pois sabemos o quanto é difícil para um tenista mudar o calendário de última hora. Ao longo desses anos Rogerinho muitas vezes ajudou a equipe brasileira, sacrificando o seu calendário, e agora compreendemos que não será possível", salientou Zwetsch. "

A equipe irá viajar para o Japão no dia 8 de setembro para a ambientação e os treinos pré-confronto. Além de Clezar, Thiago Monteiro, Marcelo Melo e Bruno Soares, o Brasil também terá a presença do reserva Marcelo Zormann e do juvenil Thiago Wild.

Publicidade